Gabriela Barbosa: Retratos de uma Desconhecida

Você responderia sim ou não a um fotógrafo desconhecido que lhe pedisse para fazer um retrato em uma noite qualquer em São Paulo? Isso foi o que aconteceu com a Gabriela Barbosa, também estudante de fotografia.

Em um retrato, nós temos a capacidade de entender, pelas expressões, o sentimento do retratado em apenas uma imagem, mas e se esse sentimento for uma mentira? O que você pode passar de sentimentos a um profissional que você mal conhece?
A visão que tenho da Gabriela é confusa por não a conhecer e retratar o desconhecido é imaginar várias outras formas de te contar uma história.
Em seu poema “Retrato”, de Cecília Meireles diz: “Eu não tinha este rosto de hoje, assim calmo, assim triste, assim magro, nem estes olhos tão vazios, nem o lábio amargo.”

Quem pode terminar de contar essa história para nós é a própria Gabriela e a história que estou lhes contando talvez não seja realmente a história que ela gostaria de contar.

(A obra “Retrato” foi publicada no livro “Viagem”, em 1939)

GALERIA